Sexta-feira, 6 de Maio de 2005

MARQUE-SE NAS AGENDAS

Imagens antigas 026.jpg

Que
nesse dia
a ciática não me atormente os movimentos
ninguém me marque casamento ou baptizado
a úlcera não me enrole no lençol
os quatro pneus não resolvam estoirar a compasso
um vulcão desconhecido não queira disparar lume em calda sobre a cidade
um pássaro de bico longo não me fure os olhos
a loucura tão estimada e habituada não me meta num colete de forças
o vinho não me suba à cabeça para me dar a dignidade de um bêbado
um prédio cansado não se lembre de me cair em cima
nem
um crítico minta a dizer que sou poeta enchendo-me o ego de ar.

Porque
nesse dia
no dia 18 do mês que aí vem

quero sentar-me quieto com emoção engolida
envergonhado da cumplicidade desejada
visitar um amigo
que
na maternidade das palavras, do talento e da raiva
vai parir um livro.

Nesse dia
não lhe vou querer falar nem abraçar
apenas
ver-lhe florir nas mãos o livro-fiho
como se nascesse na copa de uma acácia rubra
daquelas que vi em Maputo
abrigando meninos sem bola e cheios de vontades de jogar.

Para isso
vou precisar de estar livre e em forma
na liberdade que nós sabemos
na forma do costume.
publicado por João Tunes às 21:41
link do post | comentar | favorito
|
6 comentários:
De Joo a 8 de Maio de 2005 às 23:31
Ainda há muito tempo para avisar a malta. Toda a malta.


De Guida Alves a 7 de Maio de 2005 às 15:38
Por todos os xicuembos, nesse estarei lá!


De Carlos a 7 de Maio de 2005 às 03:02
desculpem a minha cabeça de alho dos tais: nesta acabeça ainda não arrumada esqueci-me de referir que o Guilherme de Melo, jornalista e autor alusomoçambicano, acedeu a falar sobre o livro, o que me deixou contente pois além da escrita há o conhcer os cheiros e sabores, como é costume dizer, e o Guilherme de Melo conheceu a antiga LM e toda a sociedade colonial moçambicana como poucos, pela sua intelig~encia e p+ela profissão.


De Carlos a 7 de Maio de 2005 às 02:50
(mas como é que este homem tem este condão de me deixar sempre assim, encabulado e a babar-me?)
Recebi o mail esta tarde com a data e a confirmação da reserva no Galveias, ao Campo Pequeno para quem não conhece. Já espreitei e é um sábado, mas não sei das horas nem de mais nada, ainda. O que também sei é que quero muita gente lá para me esconder no meio, misturar a desilusão do meu silêncio com o cenário e passar despercebido. Até porque o grupo de teatro da Carla vai fazer uns sketchs tirados do livro, desenvolvo diligências para haver croquetes & latitas, e acredito piamente que troco os nomes de todos e de tudo e engasgo-me, se tiver que fazer discurso. É por isso tudo, vocês, vocês que sabem o que é a net e muitos viram o livro crescer(-me)que eu vos quero todos lá. Uma semana antes do 25 de Junho.


De Brigida a 7 de Maio de 2005 às 01:27
E a que horas será? Também não quero faltar e divulgarei.


De IO a 6 de Maio de 2005 às 23:42
Xiiiiiii!, vai ser uma (merecida) festa!! A dele, autor, e a nossa, de amigos!!! - abraço, uma que se comoveu ao ler-te, João!


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. NOVO POISO

. SOBRE A EDUCAÇÃO TESTEMUN...

. UM ÁS DO CASTRISMO

. SOBRE A EDUCAÇÃO TESTEMUN...

. SOBRE A EDUCAÇÃO TESTEMUN...

. ENTÃO, O QUE TENS FEITO ?

. O QUE TEM DE SER A EUROPA...

. O QUE TEM DE SER A EUROPA...

. O QUE TEM DE SER A EUROPA...

. QUE FORÇA É ESSA?

.arquivos

. Setembro 2007

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds