Sexta-feira, 6 de Maio de 2005

SABEMOS

Imbond.jpg

Sei como tu sabes. Sei como - mais tarde ou mais cedo - todos vamos sabendo, o que dói esse espanto de as nossas raízes irem-se indo na enxurrada seca da terra onde assentamos os pés, cultivamos os afectos e aprendemos a olhar o mundo. E como, desdentados de raízes, nos vamos sentindo a abanar como se uma brisa ligeira tivesse força de tempestade. Com a fatalidade imposta por desejo de tratar bem, o melhor que soubermos, os fios de seiva que nos vão sobrando. E sonhar, pensando num absurdo que nos amaine, por exemplo que, afinal, somos imbondeiro feito gente, imitando a árvore da sabedoria no espetar as raízes contra o fundo azul.

Um beijo para ti, minha amiga, minha irmã.
publicado por João Tunes às 12:28
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Joo a 8 de Maio de 2005 às 23:36
Gostei da imagem do infinito no finito. Beijo, outro.


De Guida Alves a 6 de Maio de 2005 às 19:31
Um abraço infinito, como infinito poderá ser o tempo de uma vida, se o quisermos.


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. NOVO POISO

. SOBRE A EDUCAÇÃO TESTEMUN...

. UM ÁS DO CASTRISMO

. SOBRE A EDUCAÇÃO TESTEMUN...

. SOBRE A EDUCAÇÃO TESTEMUN...

. ENTÃO, O QUE TENS FEITO ?

. O QUE TEM DE SER A EUROPA...

. O QUE TEM DE SER A EUROPA...

. O QUE TEM DE SER A EUROPA...

. QUE FORÇA É ESSA?

.arquivos

. Setembro 2007

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds